Plástica no nariz é associada ao desvio de septo

A rinoplastia é uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil que, quando associada ao tratamento do desvio do septo, passa a ser denominada Rinosseptoplastia.

O desvio de septo é caracterizado quando a estrutura que divide o nariz possui uma alteração que interfere na passagem de ar durante a respiração.

O problema pode ser congênito, adquirido na infância ou por conta de algum trauma.

Os principais sintomas da disfunção são:

  • Respiração pela boca;
  • Nariz entupido;
  • Sinusite frequente;
  • Ronco;
  • Dificuldade para dormir;
  • Dor de cabeça.

De acordo com a Academia Brasileira de Rinologia, a desordem física acomete cerca de 20% da população brasileira, o que representa cerca de 38 milhões de pessoas.

Porém, grande parte dos indivíduos possuem um grau de desvio de septo que não compromete a respiração ou o faz de forma quase imperceptível.

Nas situações mais graves, nas quais os tratamentos com medicamentos não fazem efeito, o especialista indica a cirurgia corretiva.

Geralmente, o paciente com a disfunção faz a operação no início da adolescência, quando a região nasal já se desenvolveu.

No entanto, crianças com o problema também podem ser submetidas à septoplastia nos casos mais graves. Um sinal comum que pode significar o desvio no septo é quando a criança mantém a boca aberta a maior parte do tempo.

A respiração pela boca, alternativa para os portadores de desvio de septo, pode alterar a arcada dentária e o posicionamento da língua.

Além disso, sobrecarrega o sistema respiratório. Quando a respiração é realizada de forma adequada, o nariz filtra, aquece e umidifica o ar que vai para os pulmões.

Porém, quando é feita pela boca pode levar ao organismo partículas de poeira que podem ser prejudiciais à saúde.

Como é realizada a septoplastia e a rinosseptoplastia?

O desvio de septo nem sempre precisa ser tratado. Porém, quando a cirurgia é necessária, tem a função de reposicionar o septo no local correta.

A operação é realizada com anestesia geral e dura cerca de uma hora, na maioria dos casos.

A septoplastia é feita na parte interna do nariz. Portanto, não deixa cicatrizes aparentes. O cirurgião faz uma incisão internamente e após levantar a mucosa remodela as áreas desviadas. A alta hospitalar ocorre no mesmo dia.

Já a rinosseptoplastia, associação da cirurgia plástica do nariz com a septoplastia, leva em média três horas. Geralmente, a operação é feita na presença de um cirurgião plástico e um otorrinolaringologista, pois alguns aspectos funcionais de maior complexidade exigem técnicas específicas.

A técnica utilizada na intervenção pode ser aberta ou fechada, mas geralmente é aberta, pois permite melhor visualização, facilitando a alteração do formato do nariz. O profissional separa a pele da estrutura rígida do nariz para realizar os ajustes desejados.

Vale ressaltar que, mesmo com a cirurgia, o paciente apresentará as mudanças naturais do envelhecimento, ou seja, flacidez da pele e perda da turgidez das estruturas de cartilagem.

É fundamental que o candidato à operação apresente uma expectativa real sobre a plástica no nariz e siga as instruções do especialista, pois é esse o segredo para o sucesso do procedimento.