Categorias

    Popularmente conhecido como lifting facial, a ritidoplastia é um procedimento cirúrgico destinado a pessoas que sofram com problemas relacionados ao envelhecimento da face ocasionados por fatores como exposição solar, perda da elasticidade da pele, fatores hereditários e outros agravantes, o aparecimento de rugas, sulcos e vincos na região do pescoço e rosto conferem  sinais de envelhecimento incompatíveis com  a auto imagem do paciente.

    Atualmente, é um dos procedimentos mais requisitados em consultórios de cirurgia plástica no Brasil, sendo realizado principalmente por pacientes do sexo feminino com idade entre 40 e 60 anos que buscam uma aparência mais leve e atraente.

    Como é realizada a cirurgia?

    A cirurgia é realizada através de incisão disfarçada na região da orelha e pescoço por onde são tracionados os tecidos frouxos e retirados os excesso de pele. Por este acesso, podem ser tratadas rugas profundas próximas à boca (bigode chinês e linha de marionete), o volume que normalmente se forma perto das bochechas e que lembram um “Bulldog” e parte da flacidez do pescoço. Em alguns casos, o lifting facial pode ser combinado a outros métodos como o aumento de volume da face com a gordura do próprio paciente ou a elevação do supercílio. ,

    Cuidados no pós-operatório

    – Aplicar compressas frias, a cada 2 h, nas primeiras 72 h.

    – Dormir com a cabeceira da cama elevada

    – Não fazer esforço físico

    – Procurar evitar a movimentação exagerada da face nos três primeiros dias após a cirurgia

    – Realizar drenagens linfáticas com profissional experiente

    –  Levantar-se tantas vezes quanto lhe for recomendado por ocasião da alta hospitalar, obedecendo aos períodos de permanência deitado(a) ou sentado(a)

    – Não se expor ao sol por um período mínimo de 180 dias (utilize filtros ou bloqueadores solares).

    – Retornar ao consultório para a realização de curativos subsequentes, nos dias e horários indicados pelo médico.

    – Alimentar-se de forma normal, enfatizando uma dieta hiperproteica (carnes, ovos, leite) assim como a ingestão de frutas.

    A ritidoplastia é a cirurgia plástica que tem como objetivo amenizar as marcas de expressão e flacidez da região facial, que são causadas, principalmente, pelo envelhecimento. É comum que com o passar dos anos surjam vincos profundos, perda do tônus muscular, deslocamento de tecido adiposo, sulcos e rugas. São justamente essas marcas que a ritidoplastia permite eliminar.

    O procedimento baseia-se na remoção do excesso de pele em conjunto com o reposicionamento das estruturas da face, revertendo parte dos efeitos do avanço da idade.

    Devido à perda natural do colágeno e elasticidade da pele, é comum o surgimento de rugas, flacidez e perda de brilho. Dessa forma, a ritidoplastia é indicada para pessoas com idade avançada e que possuem muitas marcas de envelhecimento na região da face.

    Também conhecida como lifting facial ou cirurgia plástica de rejuvenescimento facial, o procedimento pode ter como foco melhorar diferentes partes do rosto. Sendo que, em cada região, recebe um nome diferente. São três tipos existentes de ritidoplastia:

    • Ritidoplastia do terço inferior;
    • Ritidoplastia do terço médio, e
    • Lifting frontal.

    Quais são os tipos de ritidoplastia existentes?

    Antes de optar por um tipo de procedimento, é necessário conhecer quais são as demandas que podem ser atendidas por ele, ou seja, qual é local da face ele contempla e quais as mudanças que é possível realizar na região. Conheça melhor cada um deles:

    Ritidoplastia do terço inferior

    A ritidoplastia do terço inferior tem como objetivo promover o rejuvenescimento da parte inferior da face. A técnica consiste em elevar os tecidos conjuntivos e muscular subjacente, conhecidos como SMAS, esticando a pele do paciente e removendo o excesso.

    O procedimento é indicado, principalmente, para pacientes que reclamam da formação de papadas, por exemplo, ou que tenham queixas sobre essa região da face. A técnica pode ser associada a uma lipoaspiração, visando definir melhor o contorno facial.

    Ritidoplastia do terço médio

    Quando a cirurgia plástica visa corrigir imperfeições da área central da face, ela é chamada de ritidoplastia do terço médio e envolve a região das bochechas, rugas que possam surgir na área das pálpebras e, também, o sulco naso-labial, conhecido como bigode chinês.

    Para realização do procedimento, o especialista reposiciona as bolsas de gordura identificadas na face do paciente em conjunto com a remoção do excesso de pele. Uma associação comum da cirurgia é com a blefaroplastia, que consiste na correção das pálpebras e, assim como a ritidoplastia, também está relacionada ao envelhecimento.

    Lifting frontal

    O lifting frontal é realizado com o objetivo de amenizar as marcas de envelhecimento presentes na fonte, como linhas de expressão da testa, dobra glabelar (região entre as sobrancelhas) e queda das sobrancelhas. A técnica permite remover o excesso de pele da região, além de tratar alguns músculos faciais.

    Além dos procedimentos específicos que têm como objetivo melhorar o aspecto de uma região determinada da face, é possível optar pela ritidoplastia geral que permite corrigir todas as áreas durante um mesmo procedimento.

    Nesse caso ou nos demais apresentados, apenas um cirurgião plástico poderá determinar qual tipo de ritidoplastia é o mais indicado para o caso, de acordo com a condição de saúde do paciente e os objetivos dele com a técnica.

    http://www.mariofarinazzo.com.br/contato/

    O Brasil está entre os campeões mundiais em número de procedimentos estéticos realizados. Segundo um relatório da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), no Brasil são realizadas 14,2% de todas as cirurgias plásticas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos com 17,2%. Entre os procedimentos que se destacam estão a mamoplastia, lipoaspiração e abdominoplastia.

    No Brasil foram realizados 903 mil procedimentos cirúrgicos em 2011. Abaixo vamos explicar um pouco mais das dez principais cirurgias plásticas realizadas por mulheres no país.

    1 – Lipoaspiração: 211.108 procedimentos

    A lipoaspiração tornou-se muito popular no país por remover gordura localizada de regiões específicas do corpo, como abdômen, glúteos, coxas, braços,, pescoço etc. A cirurgia, não é indicada para pessoas obesas, mas para quem deseja um melhor contorno corporal.

    2 – Mamoplastia de aumento: 148.962 procedimentos

    A mamoplastia de aumento é a segunda cirurgia  mais procurada entre as intervenções estéticas e consiste no uso de uma prótese de silicone com o objetivo de aumentar o volume das mamas. Ainda que atenda uma demanda estética apenas, em alguns casos ela é fundamental para recuperação da autoestima feminina.

    3 – Abdominoplastia: 95.004 procedimentos

    A abdominoplastia se diferencia da lipoaspiração por realizar a retirada da gordura localizada e também do excesso de pele. A técnica é muito indicada para mulheres que passaram por diversas gestações e também em casos de uma grande perda de peso.

    4 – Blefaroplastia: 90.281 procedimentos

    Intervenção cirúrgica com o objetivo de proporcionar o rejuvenescimento das pálpebras, eliminando bolsas de gordura e rugas que possam atingir a região. É indicada, principalmente, para pessoas que já apresentam sinais de envelhecimento, sendo muito realizada por mulheres a partir dos 40 anos.

    5 – Redução de mama: 66.417 procedimentos

    A mamoplastia redutora também figura na lista de cirurgias estéticas mais procuradas, entretanto, é comum que seja realizada por fins funcionais. Muitas mulheres possuem seios muito grandes e desejam reduzir o volume devido a dores nas costas e dificuldade para praticar atividades físicas..

    6 – Mastopexia: 64.960 procedimentos

    Além das técnicas de aumento e redução, também está na lista de cirurgias plásticas mais procuradas a mastopexia, também chamado de lifting das mamas, que consiste na correção do tamanho dos seios, reposicionamento da aréola e elevação dos seios.

    7 – Rinoplastia: 43.809 procedimentos

    A rinoplastia é a cirurgia plástica para alterações estéticas ou funcionais no nariz. São diversos os objetivos que podem ser alcançados com a realização do procedimento, desde alteração no tamanho do nariz, mudança da estrutura nasal, alteração no aspecto do nariz, como arrebitar a ponta etc.

    8 – Ritidoplastia: 38.484 procedimentos

    Menos popular no Brasil do que em outros países, a ritidoplastia consiste na cirurgia plástica para rejuvenescimento facial como um todo, englobando a região do pescoço, terço médio da face e testa. É indicada, principalmente, para reverter sinais de idade avançada.

    9 – Otoplastia: 28.788 procedimentos

    A otoplastia é uma cirurgia plástica mais comum na infância ou juventude, sendo realizada com o objetivo de promover alterações na orelha. As principais deformações que podem ser revertidas com a técnica é a orelha de abano e também forma, posição ou proporções da orelha.

    10 – Queiloplastia: 23.311 procedimentos

    A queiloplastia é a décima cirurgia plástica mais realizada no Brasil. Ela consiste no aumento, redução ou reconstrução dos lábios, sendo indicada para fins estéticos em casos de pessoas que desejam mudar os lábios, mas também funcional, como para pessoas com lábio leporino, por exemplo.

    O principal ao decidir pela realização de uma cirurgia plástica é consultar um cirurgião plástico de confiança e que possa esclarecer mais informações sobre o procedimento, além de realizar a avaliação adequada, pois apenas o especialista poderá determinar se a cirurgia plástica é indicada para o caso.

    Marque sua consulta na clínica de cirurgia plástica | Mario Farinazzo

    A ritidoplastia, também conhecida como lifting facial, é uma intervenção cirúrgica com fins estéticos que tem como objetivo melhorar e corrigir imperfeições faciais decorrentes do envelhecimento.

    Comumente, ela é realizada em pessoas com mais de 50 anos devido à natureza do procedimento, que visa melhorar o contorno facial, perdido com a queda dos tecidos da face, assim como suavizar rugas mais profundas. Apesar de ser uma cirurgia voltada para pessoas de mais idade, ela pode ser realizada antes, desde que a avaliação do cirurgião plástico indique que o procedimento é o mais adequado para o caso.

    A ritidoplastia auxilia no rejuvenescimento da aparência de diversas estruturas faciais, sendo que apresenta resultados em regiões como:

    • Maçã do rosto;
    • Área da boca e nariz, conhecida como “bigode chinês”;
    • Flacidez de pele próxima à boca (“ linha da marionette” e “bulldog”);
    • Pescoço e papada.

    A operação pode ser realizada visando reestabelecer a jovialidade em diversas dessas áreas ou na região que mais incomoda o paciente, tendo um resultado mais localizado.

    Como é realizada a ritidoplastia?

    O lifting facial é um procedimento cirúrgico e, como tal, necessita  o uso de anestesia local com sedação ou anestesia geral, podendo durar de 2 a 5 horas.

    São diversas as técnicas de ritidoplastia, entretanto, a mais comumente usada entre cirurgiões plásticos consiste numa incisão inicial na linha da têmpora, estendendo-se para baixo pela linha à frente dos ouvidos, circulando a orelha e encerrando no couro cabeludo.

    Dessa forma, é possível separar a pele das demais estruturas faciais, como gorduras, aponeurose e músculos, permitindo que a pele seja reposicionada o suficiente para obter um resultado natural e rejuvenescedor, enquanto o excesso é removido.

    No caso da papada, o profissional pode retirar o excesso de gordura localizada na região abaixo do queixo e aumentar a tensão dos músculos subjacentes.

    A cicatriz resultante do procedimento é pouco perceptível e fica menos visível com o passar do tempo. Caso a cicatriz alargue, é possível procurar o especialista responsável para manter cuidados extras visando manter a cicatriz discreta.

    Pós-operatório e resultados do lifting facial

    Os cuidados com o pós-operatório são fundamentais para que os resultados obtidos com a cirurgia fiquem como o esperado pelo paciente. Nas duas primeiras semanas após a realização do procedimento, é comum apresentar equimoses, que são manchas roxas na face, e edema, um tipo de inchaço na região.

    Algumas pessoas relatam que a face e o pescoço ficam com uma sensação de tensão e dormência, condição que pode permanecer ao longo de alguns meses enquanto o organismo se recupera da intervenção. Entretanto, é comum que em 15 ou 20 dias após a cirurgia plástica, o paciente já seja liberado para voltar ao trabalho, sendo fundamental o uso do protetor solar.

    A ritidoplastia é, normalmente, realizada visando o rejuvenescimento da face e pescoço. Quando realizada devido à queda das estruturas faciais e antes do aparecimento de rugas profundas, a intervenção pode evitar que essas rugas se formem.

    É na avaliação para a realização da ritidoplastia, entretanto, que o cirurgião plástico irá indicar se o procedimento é o que mais se adéqua ao caso e quais resultados podem ser esperados, alinhando as expectativas do paciente com a realidade da técnica. Para tal, é fundamental procurar por um especialista de confiança e com registro na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

    CTA4

    A gluteoplastia é a cirurgia plástica que visa aumentar, dar firmeza ou remodelar a região dos glúteos, sendo um dos procedimentos mais procurados no Brasil. O clima tropical e a paixão nacional pelas praias estão entre as razões que levam cada vez mais pessoas a buscar por interferências estéticas desse tipo.

    No caso da gluteoplastia, o procedimento pode ser realizado para diferentes fins, como aumentar as proporções dos glúteos, tornar a região mais firme ou remodelar sem o uso de prótese. O objetivo da paciente irá determinar como será realizada a operação.

    No Brasil, a procura pela gluteoplastia teve um crescimento significativo desde 2010, aumentando em 60% desde então. Entre as razões que tornaram o procedimento mais procurado, destaca-se a modernização das técnicas utilizadas, que torna o resultado mais satisfatório, diminuindo os riscos de complicações e tornando o pós-operatório mais tranquilo.

    Quais são os tipos de gluteoplastia?

    A gluteoplastia pode ser de três tipos, de acordo com os objetivos da paciente ao realizar o procedimento. São eles:

    • Lipoaspiração: realizada com o objetivo de tornar o contorno da região mais estético, consiste na remoção de gordura localizada nos glúteos;
    • Inclusão de próteses de silicone: também chamada de gluteoplastia de aumento, é caracterizada pela inserção de uma prótese de silicone específica para a região;
    • Lipoenxertia: procedimento para remodelagem da área, consiste na inserção de gordura retirada da própria paciente.

    O tipo de intervenção escolhida irá influenciar desde como o procedimento será realizado até mesmo nos cuidados durante o período pós-operatório e o tempo necessário para a recuperação da paciente.

    De acordo com o caso, a avaliação do cirurgião plástico e o desejo da paciente, também é possível associar técnicas visando obter um resultado que atenda melhor às expectativas da paciente. A possibilidade de associação, no entanto, deve ser avaliada com o especialista responsável.

    Como funciona a gluteoplastia?

    Como todo procedimento cirúrgico, a gluteoplastia tem início com uma avaliação que deve ser agendada com o cirurgião plástico para determinar qual o melhor procedimento e conhecer os objetivos da paciente com a intervenção. Serão solicitados alguns exames cardiológicos, radiológicos e de sangue para que o especialista possa conhecer o quadro de saúde da paciente.

    Após a avaliação e realização dos exames, é marcada a data do procedimento já com a definição do tamanho da prótese, caso seja a gluteoplastia de aumento. Neste caso, a prótese de gel de silicone é inserida dentro do músculo glúteo  por meio de uma incisão no sulco glúteo, que torna a cicatriz bem discreta.

    No caso da lipoaspiração, a gordura localizada na região é retirada por meio de pequenas incisões que proporcionam cicatrizes quase imperceptíveis e tornam o resultado mais satisfatório para a paciente.

    Caso seja realizada a lipoenxertia para aumentar e remodelar a região, é usada gordura extraída da região abdominal, abaixo do umbigo, da face interna dos joelhos ou mesmo da região lombar, visto que são as mais indicadas para realização do procedimento., Pela possibilidade considerável de perda l da gordura injetada (30 a 50%), o cirurgião plástico pode optar pelo enxerto de um volume maior =para atingir o resultado desejado..

    O cirurgião plástico é o profissional indicado para realizar todo o acompanhamento da gluteoplastia, desde a avaliação inicial, opção pelo tipo de procedimento, realização da cirurgia e acompanhamento pós-operatório. Portanto, é fundamental a escolha de um especialista de confiança e que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

    CTA3

    O desejo de se encaixar nos padrões estéticos faz com que muitos jovens anseiem por realizar cirurgias plásticas antes de atingirem a maioridade. Entretanto, devido às transformações do período, tanto físicas quanto emocionais, muitos pais se questionam se devem apoiar os filhos nessa decisão.

    A procura por um cirurgião plástico de confiança é o primeiro passo para que o caso seja analisado por um especialista que poderá esclarecer as dúvidas tanto dos pais quanto dos adolescentes.

    Inicialmente, é importante avaliar o que motivou o desejo pela cirurgia plástica. Aproximadamente 60% dos jovens são motivados por fatores estéticos, enquanto 40% esperam resolver problemas funcionais. Há situações nas quais algumas condições físicas geram dores, como excesso de mamas em meninas, e a ginecomastia em meninos.

    rinoplastia masculinaConsiderando tanto as motivações estéticas quanto as funcionais, o número de cirurgias plásticas entre adolescentes aumentou 141% entre 2008 e 2012, saltando de 37.740 procedimentos anuais para 91.100, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). As intervenções mais procuradas entre os jovens nessa faixa etária são:

    • Mamoplastia de aumento;
    • Mamoplastia redutora;
    • Lipoaspiração;
    • Otoplastia;
    • Ginecomastia;
    • Rinoplastia.

    Quando o adolescente pode realizar cirurgia plástica?

    A cirurgia plástica na adolescência deve ser avaliada por um cirurgião plástico que, além de esclarecer as dúvidas sobre o procedimento, irá avaliar qual a principal motivação do jovem para realização da intervenção. Em alguns casos, o profissional pode indicar que seja iniciado um acompanhamento psicológico, visando não expor o jovem a uma cirurgia desnecessária para o momento.

    Alguns procedimentos como a otoplastia e a rinoplastia estão entre os mais procurados pelos jovens, pois estão muito relacionados a casos de bullying. Nessas situações, o especialista pode indicar a cirurgia, evitando que o adolescente seja continuamente exposto a uma condição social de vulnerabilidade que  pode acarretar isolamento, baixa autoestima e depressão.

    Não há uma predefinição de qual idade é a mais indicada para a realização de uma intervenção estética, sendo importante avaliar as particularidades de cada caso. A condição emocional do adolescente deve ser atentamente observada, tanto pelo profissional como pelos pais, pois pode indicar a existência de um Transtorno Dismórfico Corporal (TDC), caracterizado pelo excesso de preocupação com a aparência.

    A atenção aos sinais apresentados também é importante, pois, na fase pré-adulta, é comum que o jovem mude com frequência as preferências e também preocupações, focando em partes diferentes do corpo, conforme o momento, nas tendências entre o grupo de amigos e influências externas. Em alguns casos, o cirurgião plástico pode conversar com os pais, para que eles dialoguem com o adolescente e convença-o a aguardar um outro momento para a realização do procedimento.

    Quais procedimentos podem ser realizados na adolescência?

    Apenas uma avaliação de um cirurgião plástico poderá indicar a necessidade imediata ou não de realizar uma intervenção estética. Algumas cirurgias são feitas com mais frequência nos adolescentes.

    A lipoaspiração, por exemplo, é indicada apenas para pessoas em idade adulta, não havendo necessidade de realizar tal procedimento ainda na adolescência. Já a rinoplastia e a redução das mamas são cirurgias que podem ser realizadas entre 16 e 18 anos, de acordo com a situação e com o desenvolvimento físico do jovem.

    A otoplastia, por sua vez, é um procedimento que pode ser realizado ainda na infância, pois as estruturas do pavilhão auricular já estão plenamente desenvolvidas a partir dos sete anos, n maioria das pessoas.

    Independentemente do procedimento a ser realizado, é importante que o paciente que será submetido a uma cirurgia plástica mantenha as expectativas realistas, sabendo quais resultados podem ser obtidos. Esse aspecto pode ser mais difícil para os jovens, que ainda não desenvolveram uma completa maturidade. Nessa faixa etária, o apoio familiar e diálogo honesto com os pais e com o profissional responsável pelo caso são imprescindíveis para garantir um resultado satisfatório.

    Mesmo com tantas particularidades, a realização de cirurgias plásticas na adolescência pode ocorrer de forma segura e consciente, no entanto, deve existir uma relação de confiança entre o jovem, os pais e o cirurgião plástico escolhido.

    Agende uma avaliação

    Uma das principais dúvidas apresentadas aos cirurgiões plásticos é sobre a idade mínima permitida para colocar próteses de silicone (mamoplastia de aumento). Contudo, não existe uma resposta definitiva para essa questão, visto que o aconselhado é a colocação de implante de silicone após o desenvolvimento completo das mamas, o que depende de cada paciente.

    Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgias Plásticas, um dos procedimentos mais procurados entre as jovens na faixa dos 16 anos é a mamoplastia de aumento, realizada através da inclusão de próteses mamárias. Mas quais as orientações sobre a realização mamoplastia de aumento em adolescentes?  Entenda melhor a seguir.

    Existe uma idade ideal para colocar prótese de silicone?

    Assim como a cirurgia para a redução das mamas (Mamoplastia Redutora) também muito relacionada à autoimagem e muito buscada durante a adolescência, a mamoplastia de aumento por meio da inclusão de prótese de silicone é indicada apenas após o desenvolvimento completo da mama da mulher.

    No Brasil, existem leis que permitem a realização de cirurgias plásticas em menores de idade apenas sob o consentimento e acompanhamento dos responsáveis. Dessa forma, é possível a colocação de prótese mamária a partir  dos 16 anos, porém muitos especialistas preferem aguardar a maioridade das pacientes. A partir dessas informações, é possível afirmar que, para ser considerada apta à inclusão de próteses de silicone, a paciente deve ter as mamas desenvolvidas e, caso seja menor de idade, precisa do consentimento dos pais, além de toda a avaliação de saúde, que é realizada para todos os casos de mamoplastia de aumento.

    Em alguns casos, após a avaliação dos resultados dos exames solicitados, é possível afirmar que a paciente ainda não atingiu a maturidade sexual  completa e, portanto, os caracteres sexuais, incluído as mamas, ainda não estão completamente desenvolvidos. Quando isso ocorre, o cirurgião plástico esclarece todas as consequências positivas e negativas de dar continuidade à realização da cirurgia.

    Cirurgias plásticas na adolescência

    A adolescência é conhecida por ser a fase na qual o corpo sofre mais alterações, tanto físicas quanto hormonais, e isso impacta diretamente na autoestima dos jovens. Nesse período de transições é muito comum surgir o desejo pela realização de cirurgias plásticas, tais como a mamoplastia de aumento, rinoplastia, otoplastia etc.

    Apesar do desejo do jovem pelo procedimento, é fundamental a avaliação do cirurgião plástico, além do consenso dos responsáveis, para que a cirurgia plástica seja considerada segura e traga um real benefício. Por isso, o ideal é buscar sempre um especialista confiável, que tenha boas referências e, principalmente, que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

     

    Marque sua consulta na clínica de cirurgia plástica | Mario Farinazzo

    Atualmente, a busca pela silhueta corporal ideal aumenta cada vez mais. O Brasil é o país onde mais se realizam cirurgias plásticas estéticas no mundo e, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os procedimentos mais realizados são a mamoplastia e a lipoaspiração.

    As mulheres são as principais interessadas em manter a boa forma e conseguir um corpo como sempre sonharam, principalmente com relação àquelas gordurinhas localizadas, que, mesmo com a prática de atividades físicas, insistem em continuar ali. Por isso, a lipoaspiração é uma das técnicas preferidas das pacientes.

    Quando a lipoaspiração é indicada?

    A lipoaspiração é um procedimento recomendado para pacientes que apresentam acúmulo de gordura em determinada região, causando certa insatisfação com o próprio corpo., São as famosas gorduras localizadas.

    Essa camada de lipídios permanece no local, mesmo após a paciente dedicar-se à prática de exercícios físicos voltados para a região específica e a manter uma alimentação equilibrada. Na maioria dos casos, a lipoaspiração é indicada para remover o excesso de gordura das seguintes regiões corporais:

    • Barriga;
    • Coxas;
    • Glúteos;
    • Quadril;
    • Flancos,
    • Braçose;
    • Pescoço.

    Porém, engana-se quem pensa que o procedimento de lipoaspiração é indicado apenas para melhorar o contorno corporal. A técnica também é muito realizada para tratamentos de algumas condições de saúde específicas como a lipodistrofia relacionada à Doença de Madelung, por exemplo.

    É possível, também, que a lipoaspiração seja associada a outros procedimentos de cirurgia plástica, como a abdominoplastia ou a ginecomastia, a fim de atingir melhores resultados. Quanto custa para realizar uma lipoaspiração?

    Bem como todo procedimento cirúrgico, além dos gastos com a equipe médica, a lipoaspiração necessita de anestesia (o tipo ideal de anestesia pode variar de acordo com a região na qual o procedimento será realizado e a necessidade de cada paciente), internação, entre outros fatores que impactam diretamente no valor da cirurgia.

    Dependendo da finalidade da técnica, como para remover apenas gordura localizada ou como tratamento de outras enfermidades, a lipoaspiração pode variar de preço. Além disso, para os casos em que ela é associada a outra cirurgia plástica estética, o custo com anestesia e demais necessidades comuns são menores do que se as técnicas fossem realizadas separadamente.

    É importante considerar, também, que, após a cirurgia plástica ser realizada, a paciente terá que investir em alguns itens para a correta recuperação no período pós-cirúrgico, como meias de compressão e cintas cirúrgicas, além de cuidados necessários para a manutenção e continuidade do efeito da lipoaspiração, como drenagens linfáticas e outras técnicas que ajudam a manter a silhueta como a paciente deseja.

    Por tratar-se de um procedimento diretamente relacionado à aparência, bem-estar e autoestima de quem o realiza, a principal questão a ser considerada não é o valor da lipoaspiração, mas sim a busca por um profissional que seja de confiança, preferencialmente que seja membro da SBCP – Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e passe segurança, esclarecendo todas as dúvidas existentes antes de realizar a técnica.

    agende sua avaliacao

    A orelha de abano é caracterizada  por  malformações na estrutura da orelha. Mais precisamente, quando as orelhas não possuem os sulcos e elevações naturais, aparentando serem mais planas, arredondadas e com uma angulação maior em relação à cabeça do que a considerada normal. Mas o que algumas pessoas não sabem é que existe um tratamento cirúrgico para a  correção da orelha de abano.

    Ter orelha de abano  é  um problema que pode não incomodar algumas pessoas, mas pode ser uma verdadeira dor de cabeça para outras ,     acarretando um desconforto social devido a piadas e bullying , principalmente, na infância.

    Por isso, muitos pais  procuram a ajuda do cirurgião plástico para a correção da orelha de abano de seus filhos ainda durante  a infância.

    Como é realizada a correção da orelha de abano?

    Assim como   em deformidades que acometem as orelhas,após queimaduras ou outros acidentesa orelha de abano pode ser corrigida por meio da cirurgia plástica de orelha, chamada pelos especialistas em cirurgias plásticas de otoplastia.

    A otoplastia consiste na correção da angulação entre a orelha e a cabeça e na  criação das  subunidades anatômicas da orelha,  O cirurgião plástico realiza uma discreta incisão atrás da orelha, na junção  desta  com a cabeça,  separa  a pele das  estruturas cartilaginoas e  esculpe estas estruturas   por meio de pontos, técnicas de lixamento e retirada de fragmentos de cartilagem. O objetivo é um resultado  de aspecto natural e que atenda as expectativas do paciente. Essa técnica proporciona resultados muito satisfatórios, além de não deixar cicatrizes aparentes, e pode ser realizada sob anestesia local com sedação ou com anestesia geral, a mais recomendada no caso de crianças.

    Qual é a idade mínima para realizar a otoplastia?

    As orelhas podem ser corrigidas a partir dos seis anos, visto que, passada essa idade, o desenvolvimento das estruturas não é tão significativo. Sendo assim, o resultado da cirurgia de correção de orelha de abano não fica comprometido após essa idade.

    No entanto, muitos especialistas em cirurgia plástica orientam que os pais aguardem a vontade da criança para buscar o procedimento cirúrgico, visto que existem casos em que a correção da orelha não impacta de maneira direta na vida da criança quanto os pais suspeitavam.

    CTA4

    A cirurgia plástica reconstrutiva de mama, também chamada por muitos especialistas em cirurgia plástica de  mamoplastia reconstrutiva, tem o objetivo de restabelecer a forma da mama acometida por algum processo de mutilação, seja devido a um câncer ou outra enfermidade. A mamoplastia reconstrutiva pode proporcionar ótimos resultados, atendendo às expectativas das pacientes  que passam a ter  seios aparentemente naturais. Dessa forma,   ajuda a resgatar a autoestima dessas mulheres.

    Quando a mamoplastia reconstrutiva é indicada?

     A cirurgia é indicada para qualquer paciente que tenha parte ou a totalidade da mama retirada desde que a doença que motivou a mutilação tenha sido devidamente controlada  e que a paciente tenha o desejo de ter a mama reconstruída. É muito importante que a paciente que decida se submeter à cirurgia plástica reconstrutiva das mamas tenha em mente que o procedimento deve ser feito em  benefício próprio, para sentir-se melhor com a aparência das mamas. No entanto, também é importante saber que a mama reconstruída pode  não conter estruturas específicas, como as glândulas mamárias, de forma que não será possível recuperar algumas funções, como a capacidade de aleitamento, por exemplo. Além disso, a sensibilidade pode ficar alterada definitivamente na nova estrutura.

    Como é realizada a cirurgia plástica reconstrutiva das mamas?

     Por ser considerada uma técnica que possui papel fundamental na reabilitação das pacientes, em casos selecionados, a mamoplastia reconstrutiva pode ser realizada    no mesmo procedimento da mastectomia, mas, na grande parte dos casos é feita após a recuperação total da paciente e a certeza que a doença está controlada, no caso de um câncer.

    A técnica utilizada em cada caso pode variar de acordo com as características da paciente e com a quantidade de mama que foi perdida.

    Dentre inúmeros procedimentos, os mais comuns são os que utilizam tecidos (pele, gordura e músculo) da própria paciente, os chamados retalhos. Esses tecidos utilizados podem estar ao lado do defeito a ser reconstruído ou até mesmo a grandes distâncias, como os que utilizam parte da região abdominal, glútea ou da coxa.

    Outra forma  também muito comum de reconstrução  é a chamada Técnica de Expansão dos Tecidos, na qual um balão é colocado abaixo da pele e expandido semanalmente até atingir o tamanho e forma adequados. Em outra cirurgia, este balão é retirado e substituído por uma prótese de silicone. Existem tipos especiais de balão que já são parcialmente preenchidos por silicone e que não precisam ser substituídos após a expansão total.

    Existem casos, como o da atriz norte americana, Angelina Jolie, em que a mama é retirada como forma de prevenção, ou seja, pelo risco sabidamente muito aumentado de desenvolver um câncer. Nesse caso a maior parte do tecido mamário é removido e imediatamente substituído por uma prótese de silicone. Porém, não é um procedimento de consenso entre especialistas.

    A técnica ideal dependerá da avaliação do cirurgião plástico sobre o defeito a ser reconstruído e as condições de saúde da paciente, de forma a proporcionar o melhor resultado possível.

    agende uma consulta


      Fatal error: Call to undefined function html5wp_pagination() in /home/mario870/public_html/wp-content/themes/inovado_2.0/pagination.php on line 3