Cirurgia plástica reconstrutiva de mama

A cirurgia plástica reconstrutiva de mama, também chamada por muitos especialistas em cirurgia plástica de  mamoplastia reconstrutiva, tem o objetivo de restabelecer a forma da mama acometida por algum processo de mutilação, seja devido a um câncer ou outra enfermidade. A mamoplastia reconstrutiva pode proporcionar ótimos resultados, atendendo às expectativas das pacientes  que passam a ter  seios aparentemente naturais. Dessa forma,   ajuda a resgatar a autoestima dessas mulheres.

Quando a mamoplastia reconstrutiva é indicada?

 A cirurgia é indicada para qualquer paciente que tenha parte ou a totalidade da mama retirada desde que a doença que motivou a mutilação tenha sido devidamente controlada  e que a paciente tenha o desejo de ter a mama reconstruída. É muito importante que a paciente que decida se submeter à cirurgia plástica reconstrutiva das mamas tenha em mente que o procedimento deve ser feito em  benefício próprio, para sentir-se melhor com a aparência das mamas. No entanto, também é importante saber que a mama reconstruída pode  não conter estruturas específicas, como as glândulas mamárias, de forma que não será possível recuperar algumas funções, como a capacidade de aleitamento, por exemplo. Além disso, a sensibilidade pode ficar alterada definitivamente na nova estrutura.

Como é realizada a cirurgia plástica reconstrutiva das mamas?

 Por ser considerada uma técnica que possui papel fundamental na reabilitação das pacientes, em casos selecionados, a mamoplastia reconstrutiva pode ser realizada    no mesmo procedimento da mastectomia, mas, na grande parte dos casos é feita após a recuperação total da paciente e a certeza que a doença está controlada, no caso de um câncer.

A técnica utilizada em cada caso pode variar de acordo com as características da paciente e com a quantidade de mama que foi perdida.

Dentre inúmeros procedimentos, os mais comuns são os que utilizam tecidos (pele, gordura e músculo) da própria paciente, os chamados retalhos. Esses tecidos utilizados podem estar ao lado do defeito a ser reconstruído ou até mesmo a grandes distâncias, como os que utilizam parte da região abdominal, glútea ou da coxa.

Outra forma  também muito comum de reconstrução  é a chamada Técnica de Expansão dos Tecidos, na qual um balão é colocado abaixo da pele e expandido semanalmente até atingir o tamanho e forma adequados. Em outra cirurgia, este balão é retirado e substituído por uma prótese de silicone. Existem tipos especiais de balão que já são parcialmente preenchidos por silicone e que não precisam ser substituídos após a expansão total.

Existem casos, como o da atriz norte americana, Angelina Jolie, em que a mama é retirada como forma de prevenção, ou seja, pelo risco sabidamente muito aumentado de desenvolver um câncer. Nesse caso a maior parte do tecido mamário é removido e imediatamente substituído por uma prótese de silicone. Porém, não é um procedimento de consenso entre especialistas.

A técnica ideal dependerá da avaliação do cirurgião plástico sobre o defeito a ser reconstruído e as condições de saúde da paciente, de forma a proporcionar o melhor resultado possível.

agende uma consulta