Efeitos colaterais da toxina botulínica

O surgimento de novos tratamentos para rejuvenescimento facial permitiu que a opção por procedimentos cirúrgicos fosse reduzida, sendo que tratamentos minimamente invasivos, como a aplicação da toxina botulínica, tornassem-se mais frequentes.

A toxina botulínica age como um bloqueador neuromuscular, impedindo a contração da musculatura facial nos músculos que receberam a aplicação, o que ameniza ou elimina as linhas de expressão e vincos.

Uma preocupação recorrente dos pacientes que desejam realizar o tratamento refere-se aos efeitos colaterais que podem ocorrer após a aplicação da toxina botulínica, popularmente chamada de botox.

O cirurgião plástico ou dermatologista, por serem os profissionais que mais dominam a anatomia facial e seu equilíbrio estético, são os profissionais mais indicados para a realização do procedimento, assim como para esclarecer as dúvidas relacionadas ao tratamento.

Portanto, ainda que busque informações previamente, conversar com o profissional responsável é de grande importância para que o procedimento seja mais seguro e para que traga resultados mais satisfatórios e alinhados com as expectativas.

Quais são os efeitos colaterais da toxina botulínica?

A aplicação da toxina botulínica é um procedimento considerado minimamente invasivo pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, pois não implica em aberturas ou outras técnicas mais agressivas.

Os efeitos colaterais relacionados com o tratamento são mínimos e, normalmente, relacionados ao local de aplicação da injeção. Podem ser observados pelo paciente após o procedimento:

  • dores, inchaço e pequenos hematomas , ainda que incomuns, podem ocorrer no local da injeção e em regiões próximas;
  • dor de cabeça passageira pode ser observada em casos de aplicação na área da testa, principalmente quando é a primeira vez que o tratamento é realizado;
  • fraqueza temporária nos músculos próximos ao local da aplicação é incomum, mas pode ocorrer de acordo com a resposta do organismo à exposição ao medicamento;
  • raramente ocorre um rebaixamento da sobrancelha e da pálpebra.

Em geral, a aplicação de toxina botulínica é um procedimento bastante seguro e que não gera efeitos colaterais. Quando estes ocorrem, são leves e temporários, não impactando as atividades cotidianas do paciente.

Durante algum tempo, quando o tratamento ainda estava em consolidação no Brasil, a realização da aplicação da toxina ficou associada à ausência de expressões faciais. No entanto, esta percepção é bastante equivocada, sendo que a aplicação realizada por um profissional experiente e capacitado mantém a naturalidade das expressões faciais, ao mesmo tempo em que é capaz de minimizar e eliminar as linhas de expressão que causam desconfortos ao paciente.

Como reduzir os efeitos colaterais?

O primeiro passo para evitar ou minimizar os possíveis efeitos colaterais da aplicação de toxina botulínica é escolher o profissional responsável pela aplicação do medicamento. A face possui  44   pares de músculos, sendo essencial que a aplicação ocorra naqueles mais propensos a formar rugas e linhas de expressão. Apenas um especialista com conhecimento prévio será capaz de identificar os melhores pontos, tornando o resultado mais satisfatório.

Outra precaução importante para se preparar para os efeitos colaterais é conversar com o médico que conduzirá a aplicação. Esclareça as dúvidas referentes ao medicamento, recuperação e repouso, o que garantirá maior eficácia do procedimento.

Indica-se que, após a aplicação, os pontos não sejam massageados ou esfregados, entretanto, mexer a face, contraindo a musculatura, pode ajudar a obter melhores resultados. Caso o paciente fique incomodado com inchaços ou leves hematomas, pode-se usar maquiagem para disfarçar esses sinais, sendo eles temporários.

Converse com um cirurgião plástico especializado na aplicação da toxina botulínica e tire suas dúvidas!