Especialista em cirurgia plástica explica os tratamentos para queloide

Os tratamentos para queloide consistem em procedimentos que irão controlar a cicatrização consequente de cirurgias, inflamações ou demais traumas, confira as dicas de tratamento do especialista em cirurgia plástica.

Existem diversas formas de tratar o queloide, desde injeções até cirurgias, por exemplo. O procedimento ideal pode variar de acordo com o tamanho e local, sendo que, na maioria dos casos, é aconselhado procurar um cirurgião plástico que tenha experiência na área para a remoção do queloide, pois o risco do queloide voltar é muito grande se operado no momento errado e com técnica inadequada.

Especialista em cirugia plástica explica os métodos de tratar o queloide

Não existe um único tratamento ideal para queloide, mas uma seleção de procedimentos que, combinados, aumentam a eficácia de redução das lesões. Os principais são:

  • Injeções de corticóide (triancinolona): indicado ma grande maioria das lesões queloideanas. O medicamento é injetado diretamente na cicatriz, com intervalo de quatro a seis semanas. O ideal é fazer uma anestesia local antes, pois é muito doloroso;
  • Procedimento cirúrgico: o cirurgião remove totalmente a lesão após inativá-la. Utiliza técnica específica que minimiza o risco de formação de outro queloide;
  • Fonoforese: método físico químico que inativa as células ao redor do queloide diminui risco de proliferação;
  • Feixe de elétros: método semelhante a radioterapia utilizado em queloides agressivos que podem ser operados;
  • Compressão: a compressão direta sobre o queloide, amolece e reduz a lesão.

Para pessoas que apresentam tendência ao queloide e precisam se submeter a uma cirurgia, é recomendado preparo especial da pele com corticoide e medicamentos por boca que diminuem atividade das cicatrizes. Além disso podem ser utilizadas sessões de feixe de elétrons ou betaterapia logo após a cirurgia.

Locais do corpo onde o queloide é mais frequente

Quem apresenta pré-disposição a desenvolver queloide corre o risco de ter a cicatriz nos locais onde há ferimentos, cortes e cirurgias. Contudo, uma pessoa pode apresentar queloide em uma cicatriz em determinada parte do corpo, mas não apresentar em outra. Isso ocorre porque as condições da pele influenciam diretamente no surgimento das lesões, como a quantidade de colágeno, a pigmentação, presença de pelos e glândulas, entre outros.

Os locais mais frequentes do corpo onde o queloide se desenvolve são:

  • Ombros;
  • Pescoço;
  • Tórax;
  • Lobulos das orelhas;
  • Parte superior das costas;

Existem casos de queloides que se formam até um ano após a lesão. Nestas situações é aconselhável consultar um dermatologista e, às vezes, realizar biópsia para descartar a possibilidade de o relevo ser alguma outra lesão.

Onde realizar o tratamento do queloide?

Antes de tudo, é importante ter em mente que apenas um especialista pode indicar o tratamento ideal para cada caso. Portanto, ao notar que uma lesão elevada, avermelhada e que cresce, é essencial procurar um cirurgião plástico ou um dermatologista.

A remoção cirúrgica do queloide pode ser realizada em uma clínica de cirurgia plástica, enquanto outros procedimentos poderão ser feitos também com o acompanhamento do próprio dermatologista.

Recuperação do tratamento de queloide

Após a retirada ou diminuição do queloide, é importante realizar o acompanhamento por, no mínimo, um ano para analisar possibilidades de recorrência do problema. Em alguns casos a lesão pode reaparecer, devido ao excesso de estímulo ao agente transformador do crescimento, chamado de fator beta (TGF-β1).

CTA1