Otoplastia: Correção da orelha de abano

A otoplastia é a cirurgia plástica que corrige o problema de orelhas proeminentes, popularmente conhecidas como orelhas de abano. Ter orelhas salientes é motivo de constrangimento social para muitas pessoas. Geralmente, esse incômodo já ocorre nos primeiros anos de vida, quando a criança já está em fase de alfabetização na escola, e recebe alguns apelidos pejorativos.

A má formação da anti-hélice associada ou não ao aumento da concha é a origem desse problema. A operação tem a função de reparar esse defeito estrutural das orelhas, que é visível desde o nascimento e que continua a se desenvolver nos primeiros anos de vida. A intervenção pode melhorar o formato da região auricular ao corrigir proporções e posições, proporcionando um aspecto estético mais harmonioso e natural.

Muitos psicólogos infantis aconselham a realização da cirurgia para evitar traumas na criança que podem resultar em insegurança, depressão ou problemas mais graves como o isolamento social. A otoplastia é recomendada a partir dos sete anos de idade, pois é um período em que já desenvolveram totalmente o pavilhão auricular. A recomendação é que, nesses casos, o procedimento seja realizado durante o período de férias escolares.

Embora seja uma operação muito realizada em crianças e adolescentes, também pode ser realizada em adultos. Segundo a International Society of Aesthetic Plastic Surgery, ISAPS, a otoplastia é uma das cirurgias plásticas mais requisitadas pelo público masculino, ao lado de rinoplastia, ginecomastia, blefaroplastia e lipoaspiração.

Como é feita a correção da orelha de abano?

A anestesia pode ser geral ou local com sedação. O anestesista, juntamente com o cirurgião plástico, definirá a melhor alternativa para o paciente. As técnicas podem variar de acordo com o objetivo da operação, mas as incisões, geralmente, são feitas atrás da orelha, onde são retirados excessos de pele e, em alguns casos, de cartilagem.

O paciente pode receber alta no mesmo dia ou no dia seguinte da intervenção. Após a cirurgia de otoplastia é fundamental utilizar uma faixa compressiva por cerca de um mês, para auxiliar a sustentação da nova forma e posição das orelhas. Os resultados são perceptíveis logo após a remoção dos curativos.

Muitas pessoas questionam a possibilidade de ficar com cicatrizes aparentes, porém elas ficam localizadas nas dobras ou atrás da orelha, lugares onde a visualização é dificultada. Além disso, com o passar do tempo os sinais ficam quase imperceptíveis.

A intervenção é segura e pouco dolorosa. Os possíveis incômodos, são tratados, em sua maioria, com analgésicos simples.

Dicas para pais e adultos que desejam fazer otoplastia

  • Nos casos das crianças, antes de procurar um cirurgião plástico para o seu filho, peça a opinião de um psicólogo infantil e identifique se existe a necessidade do procedimento;
  • Escolha um especialista que seja membro credenciado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;
  • Certifique-se de que o local da operação possui fiscalização da Vigilância Sanitária;
  • Peça referências de outras pessoas que já realizaram a cirurgia.

Ao se consultar com um cirurgião plástico para agendar a otoplastia, não se esqueça de tirar todas as suas dúvidas. Opte por um profissional de sua confiança e siga todas as instruções médicas, elas são fundamentais para a sua tranquilidade antes, durante e depois da operação.

  Consulta