Como funciona o procedimento para redução de mama?

A cirurgia plástica de redução de mama, chamada pelos especialistas de mamoplastia redutora, é o procedimento realizado para reduzir o volume das mamas. Apesar de estar relacionada à autoestima da paciente, o objetivo principal da mamoplastia redutora não é estético, mas sim funcional.

O procedimento de redução das mamas visa remover o excesso de tecido adiposo (gordura), glandular e de pele diminuindo o peso e a sobrecarga sobre a coluna e os ombros da paciente. Existem algumas situações nas quais a mamoplastia redutora é mais indicada.

Quando a mamoplastia redutora é indicada?

Normalmente o cirurgião plástico indica a mamoplastia redutora nos casos em que a dimensão das mamas afeta o convívio social e a saúde da paciente. Mulheres que têm seios excessivamente grandes podem apresentar os seguintes problemas:

  • Dores constantes nas costas, principalmente na região lombar e cervical;
  • Problemas de postura;
  • Ferimentos nos ombros devido ao uso constante de sutiãs reforçados para suportar o peso das mamas;
  • Limitação para praticar atividades físicas;

Dessa forma, a mamoplastia redutora é indicada para corrigir o volume mamário, adequar a forma e diminuir a flacidez das mamas. No entanto, apenas um cirurgião plástico especialista poderá confirmar a necessidade do procedimento.

Como é realizado o procedimento de redução das mamas?

Antes de tudo, é essencial que a paciente esteja em boas condições antes do procedimento, portanto, é comum que o especialista solicite a realização de diversos exames para verificar a condição de saúde, além de realizar um exame físico completo durante as consultas.

Existe uma série de cuidados que a paciente deverá ter nos dias anteriores à cirurgia plástica das mamas. Alguns deles são:

  • Suspender o uso de medicamentos anticoagulantes;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Interromper o uso de tabaco e outras drogas;
  • Informar o especialista em casos de sentir-se indisposta ou apresentar sintomas de gripe;
  • Manter o jejum absoluto de alimentos sólidos e líquidos, inclusive de água, durante as 8 horas que antecederem o procedimento.

A técnica cirúrgica pode variar de acordo com as características de cada caso, como o tamanho das mamas, a flacidez e a posição do mamilo. De forma geral, após realizadas as medições e marcações, o cirurgião retira parte da pele, glândula e tecido gorduroso em excesso. Então, realiza a “montagem” que dará uma nova forma e um posicionamento mais superior para as mamas. Para isso, realiza vários pontos internos com fios fortes. Neste momento, o maior desafio é atingir a maior simetria possível entre as mamas. Com as mamas “montadas” o cirurgião passa então para a fase de “acabamento”, a mais importante para a o aspecto final das cicatrizes.

Há a possibilidade de associar a técnica com outros procedimentos, como a lipoaspiração, por exemplo, caso o cirurgião plástico note a necessidade. A cicatriz resultante do procedimento, na maioria dos casos, é localizada ao redor da auréola e se prolonga verticalmente até o sulco mamário, formando um “T” invertido.

Após o procedimento, o especialista deverá orientar a paciente sobre os cuidados da recuperação e a medicação que deverá ser utilizada em caso de dores. É muito importante que a paciente tenha em mente que o repouso pós-operatório deve ser cumprido e, caso note qualquer alteração ou sinta algum incômodo, entre em contato com o cirurgião plástico.

CTA4