Como é o procedimento do lifting frontal?

Muito procurado por mulheres entre 40 e 60 anos, o lifiting frontal é indicado para pessoas que sofram com o envelhecimento da face.

Entre os fatores que podem influenciar esse envelhecimento está a exposição solar, perda da elasticidade da pele, tabagismo e outros agravantes.

Por tais razões, é comum o surgimento de rugas, vincos e sulcos na região do pescoço, testa e sobrancelha, proporcionando insatisfação com a própria imagem e, em muitos casos, diminuindo a autoestima.

Um dos procedimentos indicados para melhorar essa situação, é o  lifiting frontal, que consiste em uma cirurgia plástica da face que, entre os resultados proporcionados, reduz rugas profundas da região da testa, além de levantar as sobrancelhas, quando necessário.

Como é realizado o procedimento?

O lifiting frontal deve ser conduzido por um cirurgião plástico com experiência e de confiança. Inicialmente serão solicitados os exames que vão garantir que o interessado tenha as condições de saúde necessárias para submeter-se ao procedimento.

A cirurgia consiste em pequenas incisões, normalmente de 3 a 5, na região frontal e temporal, na qual o couro cabeludo se inicia.

Após o descolamento da pele, pode-se tratar as estruturas profundas, retirar o excesso de pele, reposicionar músculos e ligamentos, elevando as estruturas adjacentes e obtendo uma aparência jovial na região.

Quais os resultados obtidos?

O lifting frontal pode ser realizado para diversos objetivos. O mais comum é elevar e reposicionar as sobrancelhas que normalmente caem sobre os olhos com o envelhecimento.

Nas mulheres, em geral, as sobrancelhas são mais arqueadas e mais altas, enquanto que nos homens são mais retas e baixas.

Outro objetivo é diminuir as linhas de expressão da região da testa, também chamadas de rugas profundas. E, por fim, no lifting frontal também é possível diminuir a ação da musculatura na região da testa produzindo um efeito tipo “Botox” ao deixa-la mais lisa.

A grande diferença é que o lifting frontal produz um resultado definitivo, ao contrário da toxina botulínica que deve ser repetida a cada 6 meses.

A cirurgia ainda pode ser combinada com outros procedimentos estéticos, visando um resultado mais completo e que atenda melhor às expectativas do paciente.

Para o caso de excesso de pele na pálpebra superior é possível associar o lifiting frontal com uma blefaroplastia.

O lifiting frontal deixa cicatrizes, mas discretas e próximas do couro cabeludo, de forma que tornam-se quase imperceptíveis com o passar do tempo.

Para a realização da cirurgia é comum que o cirurgião plástico, em conjunto com o anestesista, opte por uma anestesia local com sedação ou anestesia geral, sendo que o tempo de internação é de aproximadamente 12 horas para garantir um período de observação após o procedimento.

O resultado definitivo do lifiting frontal pode demorar cerca de seis meses, período que dura a cicatrização, no entanto, em cerca de três meses o resultado já se aproxima muito do definitivo.

É importante que o paciente tenha um pós-operatório adequado, pois nos primeiros dias após a cirurgia é possível que a região fique inchada, com equimoses leves (rouxidão), entretanto é incomum relatos de dores devido a cirurgia.

O lifiting frontal é um procedimento seguro quando bem indicado e realizado, sendo importante consultar um cirurgião plástico de confiança, assim como seguir as recomendações referentes ao pré e ao pós-operatório para que os resultados sejam mais satisfatórios.